Quanto não deve beber álcool depois de tomar antibióticos

Quanto não deve beber álcool depois de tomar antibióticos

Cada pessoa sã informados sobre os perigos do álcool para o organismo, no entanto, muitos não estão dispostos a negar a si mesmo de errar, mesmo quando eles têm problemas sérios de saúde e o médico receitou-lhes o curso de terapia antibacteriana. Apesar do fato de que o álcool e os antibióticos são incompatíveis, muitos têm consciência de quão grave podem ser as conseqüências dessa interação, ou quanto tempo após a recepção de um curso de antibióticos pode começar a consumir álcool?

A interação de álcool e de antibióticos no organismo

Ainda em aulas de biologia da escola nos contam sobre o fato de que todas as substâncias estranhas no organismo começam a dividir mais peças simples. Esta cadeia de divisão continua até que a partir de substâncias não ficar apenas com peças originais, ou seja, proteínas, carboidratos, gorduras e aminoácidos.

As moléculas contidas no álcool, também serão dividir em suas peças, e muitas vezes acontece, é que eles podem coincidir com as moléculas de antibióticos. Tais compostos podem causar danos ao organismo e alguns sistemas e órgãos a ela começará a funcionar correctamente.

Por exemplo, se o álcool em conjunto com a droga "trihopol", o nosso corpo pode perceber como uma mistura de como a substância "teturam". O fato é que essas substâncias muito semelhante fórmula química, e isso pode, é muito prejudicial ao corpo humano. A pessoa pode acelerar o batimento cardíaco, aparecem dissabores, e o cérebro começa a funcionar pior, entorpecer a sensações e sentimentos. Portanto, as consequências podem ser muito negativas.

Similares de adaptação também pode ser resultar em problemas como:

  • um aumento de carga no fígado;
  • náuseas, tonturas, vômitos;
  • fortes dores de cabeça, turvação da razão;
  • o desenvolvimento de uma reação alérgica.

Por quanto tempo após o tratamento com antibióticos pode tomar álcool

Naturalmente, todos nós somos seres humanos, com suas pequenas fraquezas, e acontecem razões importantes feriados, quando prevalece o desejo de consumir álcool. No entanto, se durante este período de passar por um curso de terapia antibacteriana, do álcool deve desistir.

1. Durante o tratamento antibiótico corpo humano é muito frouxo. Se não considerar a infecção de sobrecarregar o sistema imunológico, os antibióticos também têm uma grande carga de stress sobre o coração, o fígado e os rins. Além disso, eles podem prejudicar seriamente o trato digestivo, em particular, a microflora intestinal. E se o "para concluir" corpo e álcool, alguns órgãos, especialmente os rins e o fígado, podem não suportar a carga. Tudo isso mais tarde repleta de tais doenças graves, como insuficiência renal aguda ou insuficiência hepática. O homem, afinal, não o inimigo de si mesmo, para tão estúpido arruinar" o seu corpo.

2. A recepção de bebidas alcoólicas em 100% reduz a eficácia da terapia antibacteriana quase zero. A razão reside no fato de que as bactérias, que afeta o álcool, receberão a resistência, simplificando, se tornam totalmente imune à droga. Portanto, para livrar-se da infecção, o indivíduo é forçado a tomar decisões mais fortes da nova geração de drogas, que, além de ainda maiores problemas com a saúde, também pode ser ótima para "bater muito caro". Além disso, de longe, não são raros os casos, quando, depois de várias técnicas de álcool bactérias adquirem resistência a todo o tratamento, e a pessoa acabará por morrer de sepse.

Essas são as principais razões pelas quais a pessoa vale a pena abandonar o consumo de álcool durante e após um curto período de tempo após o tratamento. Afinal, a maioria das bactérias (esporos) ainda algum tempo permanecem no foco de infecção. Além de sobrecarregar o seu e enfraquecido o organismo, mais uma vez não vale a pena.

As regras de admissão de antibióticos

As regras de admissão de antibióticos

Os antibióticos muito poderosos, mas perigosos de medicamentos. Antes de sua recepção, certifique-se de consultar um especialista. A principal indicação para o uso de tais medicamentos – a presença de uma infecção bacteriana, na qual o corpo não consegue lidar com suas forças. Se o médico marcou um curso de antibióticos, durante a sua ingestão deve obedecer a certas regras:

  • O cumprimento rigoroso do tempo e a multiplicidade de sua medicação. Isto é necessário para manter o sangue constante a concentração de determinadas substâncias.
  • A duração da ingestão de antibióticos é definido pelo seu médico. Como regra geral, o curso de terapia é de 5 a 14 dias. Algumas preparações de ação prolongada são tomadas de 1-3 dias.
  • Se tomarem a medicação deve ser limpa a água.
  • Durante o tratamento deve seguir uma dieta. Deve abandonar pesado de alimentos gordurosos e de álcool.

Por que não beber bebidas alcoólicas durante o tratamento com antibióticos?

Um dos principais requisitos durante a terapia com antibióticos – a recusa de álcool. Além disso, as bebidas alcoólicas não é recomendável tomar e após o término do tratamento dentro de um determinado período de tempo.

Por que o álcool, depois de um curso de antibióticos é contra-indicado?

  • Se entrar em contacto com o organismo, essas substâncias se decompõem em pequenos componentes, que se transformam em simples e compostos. Parte das moléculas álcool de bebidas coincide com as moléculas de antibióticos. Interagindo, eles podem levar a graves falhas no corpo.
  • Está provado que o álcool reduz a eficiência de agentes antibacterianos de medicamentos.
  • A mistura dessas substâncias dá uma grande carga sobre o fígado, o que afeta negativamente o seu trabalho e sobre o estado de um organismo em geral.
  • A reação de órgãos e sistemas, a combinação de álcool e produtos antibacterianos de fundos imprevisível.

Efeitos do consumo de álcool durante a terapia com antibióticos

Para responder à pergunta sobre quando você pode beber álcool depois de antibióticos, deve falar sobre as consequências da mistura no organismo dessas substâncias.

  • O mau funcionamento do fígado. Esta é a primeira e uma das mais graves consequências simultânea do consumo de antibióticos e álcool. Durante a recepção de medicamentos antibacterianos picos de carga de trabalho do fígado. O consumo de álcool no período de terapia com antibióticos inibe o funcionamento deste órgão. Por isso estão a ser violados os processos de metabolismo e as substâncias nocivas não são do corpo, e acumulam-se nele.
  • A combinação de álcool e de antibióticos pode provocar o desenvolvimento de reacções alérgicas graves.
  • Dor de cabeça, náuseas, vômitos, tonturas, convulsões – os sintomas mais comuns da intoxicação do organismo, que ocorre como um resultado da mistura de agentes antibacterianos de drogas e de bebidas alcoólicas.
  • O maior perigo durante a recepção de antibióticos para o organismo é a síndrome de ressaca. Ele pode causar turvação da razão e causar sérios mental violações.

Os antibióticos que são incompatíveis com o álcool

Os antibióticos que são incompatíveis com o álcool

Então, vamos falar sobre o específico antibióticos e álcool (quando se pode tomar bebidas fortes depois de antibacterianos de medicamentos de determinados grupos). É importante notar que durante a terapia complexa de infecções, o uso do álcool pode levar a graves abusos, incluindo fatais. Os médicos proíbem beber bebidas alcoólicas durante o período de tratamento e no prazo de 5 dias após o término do curso de recebimento dos seguintes grupos de drogas:

  • a tuberculose ferramentas;
  • tetraciclinas (antibióticos deste grupo bloqueiam os processos bioquímicos em células de bactérias, álcool e tem a propriedade de neutralizar a sua ação);
  • os aminoglicosídeos;
  • cetoconazol;
  • nitroimidazole (álcool não deve ser consumido no prazo de 7 dias após o término da recepção de dados de antibióticos);
  • lincosamides (têm o devastador impacto sobre o trabalho do fígado);
  • cefalosporinas (mistura com álcool pode levar a uma série de conseqüências desagradáveis, incluindo taquicardia);
  • macrolídeos (reforçam efeitos tóxicos de bebidas alcoólicas);
  • a bleomicina.

As actividades de antibióticos durante os ensaios clínicos não mostraram ativo de interação com o licor.

  • Penicilinas têm ação bactericida, aplicam-se para a terapia de muitas doenças.
  • Antifúngicos medicamentos.
  • A vancomicina é um antibiótico do grupo glicopeptídeos. Sua ação bactericida devido ao bloqueio da síntese da parede celular.
  • Rifamycin – refere-se a um grupo de ansamycin. Antibiótico de amplo espectro de ação.
  • Heliomycin – utilizado para o tratamento de rinite, faringite, dermatite infecciosa e outras doenças.

Pode-se álcool depois de antibióticos, listados acima? Os médicos afirmam que o consumo de pequenas quantidades de bebidas alcoólicas após o fim do tratamento de dados drogas antimicrobianas de dano crítico, o dano para a saúde. No entanto, deve-se lembrar que cada organismo reage de forma diferente a uma combinação de tais substâncias. É por isso que bebidas alcoólicas não é recomendável o consumo no período de terapia com antibióticos de dados de grupos e dentro de 3 dias após o término do tratamento.

Quando você pode beber álcool depois de antibióticos?

Quando você pode beber álcool depois de antibióticos

Os médicos recomendam manter o consumo de álcool durante pelo menos 3 dias após a conclusão do curso de terapia. É durante este período, a maioria dos químicos de agentes antibacterianos de ferramentas totalmente eliminado do corpo.

Quando você pode beber álcool depois de antibióticos de ação prolongada? Os médicos não dão uma resposta clara a esta questão. Cada um poderoso antibiótico tem o seu período de decadência (de 10 a 24 dias). Portanto, antes do consumo de bebidas alcoólicas, certifique-se de consultar o seu médico.

Nenhum médico vai dar uma resposta para a pergunta sobre quanto tempo você pode tomar bebidas alcoólicas no fundo dos antibióticos. O mecanismo de ação de drogas deste grupo farmacêutico tão diferente, que para calcular a resposta do organismo ao álcool não é possível. Além disso, doenças para as quais tomam antibióticos, impõem restrições por parte da dieta do paciente.

17.08.2018